A denúncia passou por três juízes, no Porto e Leiria, que se declararam “incompetentes” para decidir, e no Tribunal Central de Instrução Criminal

Top Notícias