A noite foi de Europeias também no Reino Unido, país que há três anos votou para abandonar a União Europeia.

Ao final desta noite Jeremy Corbyn voltou a 'abrir a porta' a um possível segundo referendo ao Brexit, ao divulgar um comunicado em que afirma que "esta decisão vai ter que voltar ao povo, seja através de uma eleição geral ou de uma votação pública".
Corbyn realça que haverá conversações no seio dos trabalhistas durante "os próximos dias", culpando os conservadores pelo "caos" em torno da questão.
Recorde-se que o Brexit foi adiado e o Reino Unido viu-se assim obrigado a ir às urnas à última hora. Destas eleições ressalva a vitória do Partido do Brexit, de Nigel Farage, criado apenas para defender esta questão, que saiu vitorioso, deixando em segundo lugar os liberais (outra novidade).
Os conservadores, da demissionária Theresa May, ficaram em quarto numa noite de derrota histórica. Mas os trabalhistas também ficaram aquém, na terceira posição. O The Guardian já dera conta do burburinho interno, com vozes a favor de um segundo referendo ao Brexit. Estes resultados terão vindo dar nova força a essa corrente.

Top Notícias