Mídia destaca alta no número de incêndios e alegação de Bolsonaro, sem evidências, de que ONGs seriam as responsáveis. Incêndios na Floresta Amazônica tem um aumento inesperado neste ano, diz o 'New York Times'
Reprodução
Jornais tradicionais do mundo deram destaque para o aumento do número de incêndios que foi detectado na Amazônia.
Queimadas aumentam 82% em relação ao mesmo período de 2018
O “New York Times” publicou um texto sobre a alta de 77% de incêndios neste ano em relação ao mesmo período do ano passado.
Queimadas na Amazônia repercutem na imprensa internacional
O jornal americano ouviu uma gerente do programa Global Forest Watch, que disse que “fogo natural é muito raro na Amazônia, então todos ou quase todos os focos que vemos foram causados por humanos”.
Texto do 'Washington Post' sobre a Amazônia
Reprodução
Outro jornal tradicional dos EUA, o “Washington Post”, escolheu como título: “A Amazônia queima. Bolsonaro diz que seus críticos colocaram fogo para prejudicar sua imagem”.
Na reportagem, afirma-se que “o contraste entre as alegações de Bolsonaro e o que a ciência diz faz os pesquisadores se preocuparem em como proteger uma das riquezas mais importantes do mundo”.
Como desmate, ação humana e clima influenciam na alta das queimadas? Veja 12 respostas sobre o tema
No 'Le Monde' há uma entrevista com uma ambientalista
Reprodução
O “Le Monde” entrevistou uma ambientalista, que afirma que uma seca mais intensa neste ano aumentou “drasticamente” os incêndios, mas que o governo Bolsonaro amplificou o problema ao enfraquecer instituições ambientais e afirmar que a Amazônia é improdutiva.
Texto do "The Guardian" sobre o fogo
Reprodução
O jornal inglês “The Guardian” citou uma mensagem da Nasa, que publicou uma foto em uma rede social.
O número de incêndios desse ano deve ser recorde, de acordo com a agência espacial.
'El País' também publicou uma reportagem sobre a Amazônia
Reprodução
O espanhol “El País” publicou uma notícia sobre a alta do número de incêndios, uma outra sobre a nuvem que escureceu o céu de São Paulo e uma galeria de fotos chamada “A Amazônia arde”.
O argentino 'Clarín' fez um texto explicativo
Reprodução
O “Clarín”, da Argentina, fez um texto explicativo e uma entrevista.

Top Notícias