O "Académico Lomonosov", a primeira central nuclear flutuante russa, começou a viagem de cinco mil quilómetros pelo Ártico. A organização ambientalista Greenpeace teme um desastre e chama-lhe "Chernobyl flutuante".

Top Notícias