Governo iraniano liberou entrada de torcedoras em jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. Tema chamou atenção do mundo após morte de mulher presa ao tentar entrar em estádio. Mulheres iranianas torcem para poder frequentar estádios
Em dias de jogos, jovens torcedoras do Irã enchem shoppings e cafés da capital Teerã com os rostos pintados com a bandeira do país e sorriem com alegria. Nesses locais, elas torcem pela seleção iraniana em telões com outros torcedores – do sexo masculino. Veja o vídeo acima.
Mulheres iranianas são banidas dos estádios em jogos de futebol masculino no país desde a Revolução Islâmica de 1979. E o tema atraiu olhos de todo o mundo após uma torcedora atear fogo nela mesma ao ser presa por assistir a uma partida entre dois clubes do Irã.
Partida entre Irã e Bolívia, em 2018, foi um dos poucos momentos em que o regime iraniano autorizou que mulheres assistissem a jogos de futebol
Vahid Salemi, Arquivo/AP Photo
Nesta quinta-feira (18), a Fifa – entidade máxima do futebol mundial – pressionou o governo de Hassan Rohani para que libere a entrada de mulheres em estádios.
"Entendemos que haja passos e processos necessários antes de que isso ocorra de uma maneira correta e segura, mas este é o momento de mudar as coisas", afirmou o presidente da Fifa, Gianni Infantino, em comunicado.
O governo iraniano pretende permitir, gradualmente, que as mulheres assistam a jogos da seleção masculina de futebol e de outros esportes, como vôlei.
O porta-voz do governo, Ali Rabiei, afirmou que as torcedoras poderão ir ao estádio para a partida entre Irã e Camboja, em 10 de outubro, válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. "A presença delas vai aumentar pouco a pouco", disse.
Em junho, mulheres puderam assistir a jogo entre Irã e Portugal em um telão instalado dentro do estádio Azadi, o maior de Teerã.
Sem estádio, em telões
Após uma partida em um café lotado, a iraniana Somayyeh Rajabpour comentou a experiência: "assistir assim é mais divertido". Outra torcedora, Mahsa Alipour, disse: "Todo mundo adora isso, eles amam muito futebol".
"Eu posso não saber muito sobre futebol, mas, pessoalmente, estou muito empolgada com as partidas."
O chefe de gabinete do presidente Hassan Rohani, Mahmoud Vaezi, disse na semana passada que mulheres seriam autorizadas a entrar em estádios se acabassem as brigas e os cantos com palavrões e linguagem pejorativa.
Pouco a pouco, mulheres têm obtido direito de entrar em arenas de outros esportes, como o vôlei. Nesta foto, elas assistem à partida dentre Irã e Qatar no Campeonato Asiático de Vôlei, em 14 de setembro
Nazanin Tabatabaee/WANA (West Asia News Agency) via Reuters
Segundo Vaezi, o ministério do Esporte vai entrar em contatos com líderes de torcida para "melhorar a atmosfera nos estádios de um ponto de vista moral" e, possivelmente, acrescentar áreas exclusivas para mulheres nas arenas.
No mesmo tom, o porta-voz do governo, Ali Rabiei, afirmou em coletiva de imprensa que "acredita que as mulheres possam entrar nos estádios".
"Mas estou certo de que vocês concordam que parte da sociedade está preocupada sobre a presença das torcedoras", emendou Rabiei.
Torcedores exibem um cartaz contra a proibição de mulheres iranianas a frequentarem estádios em seu país durante partida entre Irã e Marrocos no estádio de São Petesburgo, na Rússia, pela Copa do Mundo 2018. Desde 1979, quando o país se tornou uma república islâmica na chamada Revolução Iraniana, as mulheres são proibidas de frequentar jogos de futebol no país
Dylan Martinez/Reuters

Top Notícias