Naquela que era considerada a decisão mais importante do ano do Supremo Tribunal Federal do Brasil, a uma maioria de juízes votou contra a condenação em segunda instâ ncia  na noite desta quinta-feira (madrugada de sexta-feira em Portugal Continental). O G1 avança que seis juízes do Supremo votaram contra a condenação em segunda instâ ncia  e cinco votaram a favor. Esta decisão do STF  poderá resultar na libertação do ex-presidente Lula da Silva. 

Na quinta sessão do julgamento sobre este assunto, a maioria dos juízes do Supremo brasileiro decidiu que, tendo em conta a Constituição, ninguém pode ser considerado culpado enquanto houver possibilidade de recursos e que a execução provisória da pena fere a presunção da inocência.
O voto decisivo foi do presidente do Supremo, o juiz Dias Toffoli , que referiu que a única exceção  são as decisões do júri. Estas devem ser imediatamente executadas, pois dizem respeito a crimes contra a vida. 
Esta decisão do STF  é de cumprimento obrigatório e, de acordo com o Conselho Nacional de Justiça do Brasil, quase cinco mil presos podem ser beneficiados por esta decisão. 
Na ótica  da Operação Lava Jato , esta decisão tem impacto em 38 pessoas que foram condenadas, uma das quais Lula da Silva. 
O antigo presidente poderá ser libertado, uma vez que ainda não esgotou todos os recursos relativos à sua condenação no caso do triplex do Guarujá . 
A defesa de Lula já reagiu a esta decisão do Supremo e revelou que vai apresentar ainda esta sexta-feira um pedido para a libertação do petista . 
Lula está preso em Curitiba desde abril do ano passado. 
[Notícia atualizada às 00h54]
Leia Também: "Eu quero provar que Moro é o bandido, não eu", afirmou Lula