O Supremo Tribunal Federal deliberou que os réus condenados só poderão ser presos depois de esgotados todos os recursos. O pedido de libertação será encaminhado após uma reunião com o ex-Presidente em Curitiba, onde está preso desde abril de 2018. Para os investigadores da Lava Jato, a decisão contraria “o sentimento de repúdio à impunidade”