Já depois de a comitiva verde e branca ter aterrado em  Tyumen , na Rússia, onde irá disputar a Ronda de Elite da Liga dos Campeões de futsal , Nuno Dias abordou as dificuldades que o Sporting irá ter pela frente em solo russo. O técnico leonino não escondeu a ambição, considerando a sua equipa como favorita neste grupo B, mas demonstrou bastante respeito por um lote de adversários que promete não facilitar a vida aos campeões europeus em título.

Expectativas para a Ronda de Elite: Esperamos as dificuldades inerentes a jogarmos contra equipas que foram campeãs nos seus países, habituadas a ganhar, com dinâmica de vitória, qualidade e muitos jogadores internacionais pelos seus países. A Ronda de Elite é onde os adversários já passaram por uma fase de qualificação e estão aqui com todo o mérito. São adversários que nos obrigam a estar no nosso melhor.

Sobre a equipa do Novo Vrijeme : É uma equipa que não mudou em relação à época passada. Chegaram dois novos jogadores e um novo treinador, pelo que certamente terão ideias novas, que já analisámos. É uma equipa que nos vai causar muitas dificuldades. Não sei se vão manter a postura que adotam na liga ou se vão mudar para a Ronda de Elite. O desconhecimento que temos dos adversários é a grande dificuldade que nós temos, pois nem sempre as análises são tão fidedignas como aquelas que fazemos das equipas da nossa liga, que conhecemos perfeitamente, seja os jogadores ou os treinadores. É mais fácil os adversários conhecerem-nos do que ao contrário. Pelo menos em relação aos nossos dois primeiros adversários, isso não se aplica tanto ao  Tyumen , devido ao percurso deles e ao que têm feito na sua liga. Mas, em relação aos croatas, sabemos que é uma equipa com jogadores intensos, agressivos, fisicamente muito fortes, rápidos na transição e com qualidade individual. Mas estamos preparados para as dificuldades, pois queremos seguir em frente nesta ronda.
Fase intensa no calendário e o frio da Rússia: A intensidade de jogos que temos tido até nos ajuda, pois é uma forma de estarmos preparados para estes momentos e para estas dificuldades. A equipa está preparada para isso e está adaptada. Não vejo nenhuma dificuldade acrescida, nem por isso, nem pelo frio. O frio está na rua. Está muito frio na rua. Mas aqui no pavilhão, ou no hotel, as temperaturas são boas, são iguais às nossas. Só damos pelo frio durante os percursos do hotel para o autocarro e deste para o pavilhão. São 30 segundos por dia. Isso não faz qualquer diferença. O que nos pode dificultar a tarefa são o fuso horário, a alimentação, que é diferente daquela a que estamos habituados, e a própria viagem, que deixa mossa. São muitas horas. Para jogar uma competição destas, até vínhamos para aqui à boleia. Queremos é cá estar e jogar, usufruir do privilégio de cá estar e seguir em frente. Dificuldades? Temos de pensar é nas soluções. As dificuldades já passaram.
Revalidação do título conquistado pelo Sporting na época  passada: A final four é só em abril , por isso temos de pensar é num jogo de cada vez. Agora vamos ter um jogo difícil com os croatas, depois com uma equipa do Cazaquistão  e, no domingo, jogamos contra a equipa da casa. Queremos chegar à final four, que é esse o nosso objetivo  por agora. Até lá ainda falta muito, temos de pensar num jogo de cada vez. Assumimos o favoritismo, pois somos os campeões europeus, mas os adversários têm qualidade.